Resumos

Palestras

Aplicações de Polímeros Condutores em Nanobiotecnologia.

Celso Pinto de Melo (UFPE)

Ao longo da última década, as propriedades eletrônicas e ópticas especiais dos polímeros conjugados têm sido exploradas para o estudo e caracterização de diferentes problemas na interface entre a física e a biologia. Enquanto nanocompósitos fluorescentes metal/polímero podem ser usados para a marcação de DNA ou RNA, possibilitando o desenvolvimento de testes de diagnóstico rápido, nanocompósitos magnéticos metal/(óxido de ferro) permitem a separação e extração de proteínas e ácidos nucleicos. Inicialmente, iremos discutir alguns exemplos de uso desses materiais em várias aplicações, tal como no diagnóstico de doenças negligenciadas e como técnica alternativa para a separação e purificação de DNA a partir de amostras biológicas. Em seguida, iremos examinar como a combinação do uso dessas técnicas poderia ser utilizada para assegurar a qualidade da água ou permitir a identificação de contaminantes, como íons de metais pesados ou corantes, e a remediação de sistemas de abastecimento de água. (Apoio financeiro da FACEPE, CAPES, CNPq e Ministério da Saúde.)

O cérebro humano sob efeito de Ayahuasca: Física Estatística aplicada à Neurociência.

Gandhimohan M. Viswanathan (UFRN)

A Física Estatística vem contribuindo para avanços em outras ciência, tais como Economia e Ecologia até mesmo Neurociência. O cérebro é um sistema complexo, logo pode ser estudado usando ideais e métodos da Física Estatística. Uma hipótese operacional bastante útil é que os estados subjetivos da mente correspondem a estados objetivos físicos do cérebro (neural correlates of consciousness). Os psicodélicos, tais como o LSD, tem sido usados para tentar entender melhor a consciência e o funcionamento do cérebro. Nesse contexto, investigamos o cérebro sob efeitos da infusão ou chá conhecida como Ayahuasca, usada em ritos das culturas indígenas da Amazônia e também por algumas comunidades religiosas. A Ayahuasca contém a substância psicodélica DMT, que é quimicamente semelhante ao LSD. Mas diferentemente do LSD, a Ayahuasca pode ser estudada legalmente no Brasil. Analisamos dados de ressonância magnética funcional (fMRI, functional magnetic resonance imaging) do cérebro, obtidas antes e depois da ingestão da Ayahuasca. Comparando os dados antes e depois da ingestão, encontramos variações nas propriedades topológicas e estatísticas das redes funcionais do cérebro. Finalmente discutimos esses resultados no contexto do uso de psicodélicos por artistas e músicos, que relatam sensações de expansão da consciência e aumento de criatividade.

Buracos Negros: Rompendo os Limites da Ficção.

George Emanuel Avraam Matsas (IFT-UNESP)

Buracos negros surgiram como uma predição teórica da teoria da relatividade geral de Albert Einstein. Ninguém os levou realmente a sério por décadas e tudo indica que mesmo Einstein morreu acreditando que buracos negros não existiam na natureza. Hoje são poucos (se alguém) os que disputam a existência destes objetos que transcendem a própria ficção. Nesta palestra discutiremos de forma simpes e ilustrativa o que são buracos negros e seu papel no Universo que habitamos.

O Brasil na era dos mega-telescópios.

João Evangelista Steiner (IAG-USP)

Minicursos

Propriedades e aplicações de semicondutores eletrodepositados.

André Avelino Pasa (UFSC)

New strategies for determination of crystal structure and materials microstructure.

Carlos Eduardo Maduro de Campos (UFSC)
Esta apresentação é dedicada a mostrar uma visão panorâmica de como a Difração de Raios X de Policristais (DRXP) está sendo usada para Determinação de Estruturas de Cristais Moleculares. Também será mostrado como a caracterização das propriedades térmicas, vibracionais e físico-químicas dos cristais moleculares pode ajudar na determinação de estruturas e como esta caracterização é feita usando calorimetria, espectroscopia Raman, microscopia eletrônica e até ensaios de altas pressões. Desafios no entendimento e controle dos modelos matemáticos disponíveis nos programas computacionais DASH [1] e TOPAS [2] serão apresentados para promover discussões sobre as possibilidades de aplicação de cálculos/modelagem da estrutura eletrônica usando o Gaussian [3] na determinação de estrutura e na interpretação dos espectros Raman de cristais moleculares. Resultados recentes obtidos nas instalações multiusuário da UFSC (Laboratório de Difração de Raios X – LDRX), no Laboratório Síncrotron da Inglaterra (“Diamond Ligth Source”) serão usados para exemplificar a viabilidade de usar os métodos aqui propostos na determinação de estruturas de materiais com aplicações tecnológicas. Especial atenção será dada à determinação de estrutura de cristais moleculares produzidos pelo grupo do Laboratório de Síntese de Cristais-Líquidos e Cristais Moleculares da UFSC e de compostos orgânicos isolados de produtos naturais (algas marinhas e plantas terrestres) pelo Grupo de Estudos em Produtos Naturais (GEPRONAS) da UFSC. Perspectivas para uso do Laboratório Nacional de Luz Sincrotron (LNLS) e da nova fonte de luz sincrotron Brasileira (Sirius) nessa linha de pesquisa serão apresentadas. O recrutamento de candidatos a desenvolverem teses e dissertações nessa linha de pesquisa (com possibilidades de estágio no Grupo do Dr. Bill David em Oxdord – Inglaterra) é um dos objetivos principais dessa apresentação. [1] David et al., Journal of Applied Crystallography, 2006, 39, 910-915. [2] Coelho, A., TOPAS Academic © (1992-2015). [3] Gaussian 03, Revision C.02, M. J. Frisch, et.al., Gaussian, Inc., Wallingford CT, 2004.

Estudos teóricos sobre a energia escura.

Celso C. Barros Jr. (UFSC)

Designing Self-Assembling Molecules for Organic Electronics.

Harald Bock (Centre de Recherche Paul Pascal — CNRS, França)
Columnar liquid crystals made of close stacks of flat polycyclic arenes with electron-donating or -withdrawing substituents combine good unidirectional charge and exciton transport, strong absorption in the visible wavelength range, and the capability to form uniformly oriented, self-healing thin films with the axis of good transport perpendicular to the substrate. They are thus exciting materials for organic optoelectronics, eg. for the elaboration of bilayer solar cells. We recently found that polycylic arenes with two alkyl dicarboximide substituents, which are known to be chemically particularly robust electron-accepting dyes, can be tuned via the alkyl substituents to form broad-temperature-range mesophases, and can be tuned via the positioning and shape of the imide groups to be of sufficiently variable donor/acceptor character that all-columnar, all-imide donor-acceptor double layer heterojunction solar cells become an attractive target.

Dinâmica de Elétrons e Moléculas.

Luís Guilherme C. Rego (UFSC)
Com recentes avanços experimentais nas áreas de espectroscopia resolvida no tempo, onde a resolução temporal atinge alguns femtosegundos, é possível investigar os processos dinâmicos em sistemas moleculares com bastante riqueza de detalhes. Tal avanço no campo experimental foi acompanhado por progressos no campo teórico, e de simulações computacionais, que permitiram estudar a dinâmica eletrônica e molecular utilizando modelos cada vez mais realistas, propiciando um número cada vez maior de trabalhos na fronteira entre física, química e biologia, tais como processos de transferência de carga evolvendo elétrons e prótons, transferência de energia, processos fotoinduzidos, fotossíntese, entre outros. O estudo da dinâmica desses processos requer mais que o cálculo da estrutura eletrônica de estados estacionários, em princípio, a equação de Schrödinger dependente do tempo para elétrons e núcleos descreve a dinâmica. Neste minicurso apresentaremos os aspectos básicos da dinâmica molecular com campos de força clássicos ou potenciais obtidos da estrutura eletrônica, e alguns algoritmos de evolução temporal para os graus de liberdade nucleares em condições ambiente. Para os elétrons, métodos para obter a dinâmica eletrônica quântica e algumas técnicas numéricas necessárias para esse tipo de cálculo. Por fim, discutiremos os efeitos de acoplamento elétron-núcleo; aproximações adiabática, de Ehrenfest, Car-Parinello, além de métodos não adiabáticos como Surface Hopping, entre outros.

Física Estatística e Neurociência.

Marcelo Henrique Romano Tragtenberg (UFSC)
Este minicurso versa sobre aplicação de conceitos de Sistemas Dinâmicos e Transições de Fase à Neurociência. O entendimento do funcionamento do cérebro hoje passa pela aplicação de conceitos e ferramentas da Física. Há uma conjectura, modelos e experimentos que indicam que alguns comportamentos do cérebro tem semelhança com transições de fase termodinâmicas, como a líquido-vapor. O cérebro se encontraria próximo a um estado crítico, com alta correlação espacial e temporal. Utilizaremos ferramentas de Sistemas Dinâmicos, como atratores e bifurcações, combinadas com conceitos de fenômenos críticos de sistemas em equilíbrio e fora do equilíbrio como parâmetro de ordem, comprimento de correlação, correlação temporal e temperatura crítica para estudar comportamentos do cérebro em repouso, em estado de anestesia e em processamento sensorial.

Técnicas Eletroquímicas para Caracterização de Interfaces.

Maria Luisa Sartorelli (UFSC)

De Maxwell a Einstein: uma Introdução à Relatividade Especial.

Pawel Klimas (UFSC)

Tomografia de estrelas binárias em interação.

Raymundo Baptista (UFSC)

Seminários

Flutuações e Correlações na Transição Quiral

André Felipe Garcia (UFSC)
Flutuações e correlações são características importantes de diversos sistemas físicos e estão frequentemente associadas com susceptibilidades que, por sua vez, determinam a resposta do sistema físico a forças externas. Flutuações e correlações também estão intimamente relacionadas a transições de fase. Transições de primeira ordem, por exemplo, resultam na formação de bolhas, que podem ser entendidas como flutuações extremas na densidade do sistema. O que faremos neste seminário é mostrar nossos resultados para a flutuação no número de quarks (dada basicamente pela susceptibilidade do número de quarks) e para a correlação entre partícula e antipartícula (quarks e antiquarks) usando o modelo de Nambu–Jona-Lasinio. Vamos estudar estas grandezas ao longo do diagrama de fases do modelo, que inclui uma transição de fase de primeira ordem em baixas temperaturas, um ponto crítico e crossover em altas temperaturas.

Introdução ao Modelo de Bose–Hubbard de Dois Sítios

Carolina Andries Gigliotti Machado (UFRJ)
O presente estudo teve como principal objetivo concretizar alguns conceitos da teoria quântica se utilizando de modelos atuais para ilustrar o papel de alguns operadores, como o Hamiltoniano, aplicados a sistemas físicos. A escolha do modelo de Bose-Hubbard de dois sítios foi devido tanto a sua simplicidade, quanto as suas aplicações no estudo de dois condensados de Bose-Einstein acoplados por tunelamento de Josephson. Tal modelo pode ser resolvido como se cada um dos sítios fosse o estado degenerado de partículas em um poço de potencial. O desenvolvimento da discussão feita se inicia nas propriedades algébricas que levam à criação do Hamiltoniano que descreve o sistema, explicando o significado de cada termo que compõe o mesmo. Uma vez definido isso, separamos a análise em duas partes distintas: uma clássica e outra quântica. Enquanto a primeira usa as equações de movimento do Hamiltoniano para encontrar o limiar do acoplamento, a segunda usa o método de diagonalização do mesmo. A comparação final entre ambas análises torna fácil perceber que o valor desse ponto crítico, que determina o limite entre a evolução deslocalizada e o aprisionamento, predito pela teoria clássica como ponto fixo de bifurcação, se mantém na teoria quântica.

A Observação Astronômica como Ferramente Motivadora para o Ensino–Aprendizagem em Física

Edwar Davila Montenegro (IFPI)
Nestes últimos anos pode-se apreciar no Brasil uma carência de profissionais na área de ensino de Física, sobre tudo na rede publica de ensino fundamental e médio e ao mesmo tempo também se aprecia um baixo desempenho em ciências pelos alunos dos níveis básicos de educação, no ranking internacional da OECD-PISA (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Na tentativa de encontrar os caminhos que nos permitam melhorar este panorama, foi desenvolvido o presente trabalho, no qual se utilizou os céus como laboratório para observar e discutir descontraidamente muitos dos assuntos abordados na física, os quais a maioria de alunos tem adversidade quando abordados nas salas de aula. Esta pesquisa foi realizada no projeto “De olho no céu de Teresina”, desenvolvido no IFPI-Campus Teresina Central, no qual se constatou que a observação astronômica pode ser usada como uma ferramenta motivadora para melhorar o desempenho no ensino-aprendizagem de física, por ser esta uma atividade atraente, tanto para alunos quanto para professores.

Parametrização de potenciais para a obtenção de grafeno artificial em uma superfície de Hélio líquido

Laura Antonia Barth Martinez (UFC)
Nós sugerimos uma forma alternativa de produzir grafeno artificial através de elétrons confinados sobre uma superfície de Hélio líquido. No sistema proposto, elétrons presos à superfície de Hélio líquido, devido a incompatibilidade entre as constantes dielétricas do vácuo e do do Hélio, estão submetidos a um confinamento lateral extra devido a efeitos de carga-imagem induzido por esferas de ouro depositadas em um formato de rede favo-de-mel logo acima do substrato no qual o Hélio líquido está depositado. Nossa investigação teórica mostra que, além de ser um sistema altamente puro, ideal para verificação experimental dos fenômenos físicos únicos que ocorrem no grafeno, o sistema proposto é altamente controlável, de forma que a velocidade de efetiva de Fermi, parâmetro de hopping e espaçamento de rede podem ser ajustados apenas variando parâmetros do Hélio líquido que são adaptados experimentalmente.

Excitação Rotacional da Molécula de H2 por Impacto de Pósitrons.

Guilherme Luiz Zanin (UFSC)
Neste trabalho vamos apresentar os resultados referentes ao cálculo de seções de choque de excitação rotacional da molécula de H2 gerado pelo impacto de pósitrons. Para tanto realizamos nossos cálculos utilizando um método variacional de primeiros princípios (ab initio). Nesta primeira investigação trabalhamos com uma aproximação adiabática, ou seja, nossas seções de choque foram calculadas a partir da aproximação de núcleos fixos. Comparamos nossos resultados com similares apresentados na literatura. Ao final discutiremos as perspectivas de aplicação em estudos de termalização de pósitrons em gases moleculares.

Intrinsic and Extrinsic Ferromagnetism in Copper (I) Oxide.

Milton Andre Tumelero (UFSC)

Não-linearidade em Sistemas de dois níveis, aspectos da matriz densidade e entropia de von-Neumann.

Murilo Machado Costa (UFSC)
A análise da dinâmica de separação de carga em sistemas moleculares foi a motivação primária para o estudo em questão, que consistiu em estudar o efeito de termos dependentes da densidade local de carga no hamiltoniano. A presença desse tipo de termo confere ao sistema um regime de auto-confinamento e podemos observar também a supressão das oscilações de Rabi decorrentes dessa interação não-linear. Utilizando o formalismo de matriz densidade e a equação de Liouville-von-Neumann resolvemos um conjunto de equações diferenciais acopladas para encontrar a dinâmica do sistema. Os regimes de auto-confinamento foram observados para determinada configuração dos parâmetros. Posteriormente inserimos um modelo de dissipação ao sistema e analisamos como os termos não-lineares são influenciados pela taxa de decaimento das coerências. Espaços de fase e diagramas de Argand foram construídos afim de investigar regimes dinâmicos de interesse. Foram encontradas algumas constantes de movimento às quais foram relacionadas com a entropia de von-Neumann.

Efeitos vibracionais na transferência de carga fotoinduzida

Robson da Silva Oliboni (UFSC)
Processos de transferência de carga são fundamentais em dispositivos naturais e artificiais de conversão de energia solar em energia química ou elétrica. A transferência eletrônica heterogênea (HET) que ocorre em células solares de corantes é influenciada por efeitos em que o acoplamento entre o movimento nuclear e eletrônico é essencial. Neste seminário serão apresentado modelos simples que incluem a relaxação nuclear em um sistema corante/TiO2 de células solares de corantes. Os cálculos descrevem as medidas de absorção em corantes de perileno, e obtém-se o alargamento das bandas de absorção e as modulações vibracionais produzidas pela relaxação intramolecular do corante. Efeitos de coerência também serão apresentados por modelos atomísticos de dinâmicas nuclear e eletrônica acopladas.

Pôsteres

Decaimento beta e captura de neutrinos em ambiente de supernova

Audilúcio Santos de Oliveira (UESC)
O processo-r e o decaimento-beta são os responsáveis, durante a fase de supernova de uma estrela, pela sintetização da maioria dos elementos pesados. Há indicativos de que a captura de neutrinos também contribui com esse processo, uma vez que, segue a mesma direção do decaimento-beta no sentido do vale de estabilidade beta e tem neste ambiente astrofísico, rico em neutrinos, condições favoráveis de temperatura e pressão. Nessa perspectiva, o presente trabalho teve por objetivo investigar a contribuição da captura de neutrinos na sintetização de elementos pesados durante a explosão de uma supernova. Para isso, foram calculadas as taxas de decaimento-beta utilizando o modelo completo da Teoria Grossa, e as taxas de captura de neutrinos, usando uma versão simplificada deste modelo. Dentre os resultados encontrados, constatou-se que a Teoria Grossa se mostrou eficiente para calcular as taxas de decaimento-beta para núcleos par-par, assim como para núcleos com massa entre 150 e 200. Além disso, os resultados para as taxas de decaimento-beta apresentaram bons resultados, estando mais de 80% dos núcleos dentro do intervalo [1; -1], isto é, com diferença de no máximo uma ordem de grandeza, para mais ou para menos, em relação aos dados experimentais. Quanto a captura de neutrinos, constatou-se que, dentre as temperaturas testadas, a temperatura mais propícia para que ela ocorra é de 4 MeV. Por outro lado, resolvendo as equações de Bateman, foi identificado que o tempo gasto para que todos os núcleos da família isobárica atinjam seu isótopo (ou isótopos) estável (ou estáveis) é bem menor ao considerar a captura de neutrinos se comparado com o tempo gasto só considerando as taxas de decaimento-beta. Este fato pode ser interpretado como um indicativo da influência da captura de neutrinos na formação de elementos pesados.

Representações dos Alunos da Rede Pública sobre a Ciência e o Cientista através de Abordagem Astronômica

Bárbara Ruana Barbosa da Silva (IF Sertão-PE)
Neste trabalho buscou-se analisar as interpretações que os alunos têm a respeito da representação dos cientistas e da ciência, de modo que devem ser influenciadas pelo pensamento científico e pelas expressões de sua cultura, cujos traços são parcialmente divulgados na mídia. Geralmente existe um distanciamento dos estudantes com a Física, e consequentemente seus ramos, pois a dimensão social-histórica mostra que a linguagem da ciência pode ser inicialmente complexa para a educação básica, em que Ciência e seu ensino parecerem fonte de muitos equívocos e desacertos entre o significado de ciência e os cientistas nas salas de aula. Isso mostra a necessidade de introduzir elementos da cultura científica para se aprimorar o ensino de Ciências nas salas de aula, com base em argumentos epistemológicos, ideológicos e filosóficos, nesse caso logo nas séries iniciais. Esse projeto será desenvolvido no projeto Vida Nova Irmãs Carmelitas no município de Petrolina – PE, com 18 alunos do Ensino Básico, faixa etária 7-14 anos, foi analisado a ideia de ciência através do projeto oficina de astronomia. O estudo é qualificado como descritivo com enfoque em questionários abertos, ilustrações desenvolvidas pelas adolescentes e depoimentos respondidos durante a culminância do projeto de astronomia desenvolvido pelos alunos de Licenciatura em Física do IF Sertão – PE no projeto Vida Nova Irmãs Carmelitas. Deste modo, a discussão sobre a avaliar as consequências dessa aproximação poderão suscitar respostas sobre se devemos considerar às noções sobre os funcionamentos das Ciências nos programas de ensino de Ciências e quanto essa aproximação pode contribuir para a realização dos projetos educacionais das escolas. Palavras-chave: Astronomia, ciência, estudantes.

Composites of Columnar Liquid Crystal with Gold Nanoparticles

Barbara Schvuchov Kern (UFSC)
During these last few years, several studies related to the combining of soft matter films and metallic nanoparticles have been made in order to improve the physics properties of these hybrid systems and using them in a broad range of application, such as electronic devices. Semiconducting columnar liquid crystals (ColLCs) have been used in electronic and optoelectronic devices due to the efficient overlap of π-orbitals along the stacking direction and anisotropic charge transport along of the molecular columns. In this work, gold nanoparticles (AuNPs) were synthesized for to purpose of doping a ColLC, mainly improving its electrical properties. AuNPs coated with dodecanethiol were synthesized by the Brust method, where the AuNPs were transferred from the aqueous solution to toluene. The organic phase was washed with water and the mixture was kept overnight in the fridge with ethanol to remove excess thiol. The final product was filtered and dissolved in toluene and again precipitated with ethanol. The toluene solution of AuNPs was analyzed through transmission electron microscopy (TEM). The diameter of the nanoparticles was 1-3 nm. The absorption spectrum of the AuNPs in toluene presented maximum absorption at 530 nm. Mixtures of AuNPs with ColLC were prepared in toluene containing 0.1, 0.5, 2.0 and 5.0 wt.% of AuNPs. These composites were used to prepare films by spin-coating and casting techniques. The films were analyzed by polarizing optical microscopy (POM), differential scanning calorimetry (DSC), UV-Vis spectroscopy, x-ray diffraction (XRD), atomic force microscopy (AFM) and current versus voltage measurements. The results obtained have held true the presence of AuNPs on the molecular lattice, without modifying the columnar hexagonal order and sharply decreasing the transition temperature from the liquid crystalline to isotropic state after doping.

Estudo de uma nova série de compostos anemométricos derivados do 9,10-bis(5-fenil-1,3,4-oxadiazol-2-il)antraceno

Carlos Alberto Ratto Neto (UFSC)
Foram planejados, sintetizados e caracterizados uma série de compostos derivados do 9,10-bis(5-fenil-1,3,4-oxadiazol-2-il)antraceno, possuindo anisometria policatenar, almejando a obtenção de cristais líquidos luminescentes. As unidades antraceno e 1,3,4-oxadiazol foram escolhidas por ekm geral apresentarem em seus derivados estruturas cristalinas bem ordenadas, alta estabilidade térmica e química e elevada luminescência quando conjugado a grupos aromáticos ou heteroaromáticos, tendo assim aplicabilidade em dispositivos opto – eletrônicos. Os compostos sintetizados tiveram sua estrutura e pureza determinadas por RMN de ¹H e ¹³C, IV, espectroscopia Raman e Espectroscopia de Massas. As propriedades foto físicas foram estudadas por espectroscopia de absorção e emissão em solução de clorofórmio e as propriedades térmicas investigadas por ponto de fusão, análise termogravimétrica e calorimetria diferencial de varredura. Os compostos não apresentaram comportamento líquido-cristalino, possivelmente devido a quebra de planaridade da estrutura relacionada a um forte efeito estérico entre os anéis do antraceno e do heterociclo 1,3,4-oxadiazol. Para obter maiores informações sobre a estrutura tridimensional da molécula, experimentos de difratometria de raios X em pó foram realizados. Foram obtidos difratogramas no equipamento LDRX-UFSC e no Diamond Light Source – Oxford. Os compostos sintetizados ainda serão estudados por voltametria cíclica, espectroscopia de emissão em filme e novos experimentos serão realizados no Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS). A fim de contornar a ausência de características líquido-cristalinas devido à quebra da planaridade, uma nova série de compostos com o mesmo centro foi planejada e está atualmente em etapa de síntese e caracterização. Esta nova séria apresenta um núcleo rígido expandido, assim a estrutura mais discótica contrabalanceará a ausência de planaridade e favoreçá o surgimento de propriedades líquido-cristalinas.

Poeira, metalicidade e formação estelar: estimando fração de gás

Eduardo Alberto Duarte Lacerda (UFSC)
Dentro da astrofísica extragaláctica, um dos grandes temas ainda incômodo é a determinação de massas de gás. A quantidade de gás de uma galáxia configura o processo de formação estelar, portanto, é peça fundamental no entendimento da sua evolução química. O gás molecular, H2, associado diretamente com a formação estelar, não possui um observável direto. A baixa massa da molécula não permite que nenhum grau de liberdade rotacional seja excitado, pois a temperatura nessas regiões é muito baixa, necessitando ser traçado através de outros elementos presentes ali. Geralmente o que se usa são as transições entre os níveis energéticos do monóxido de carbono (CO) pois suas linhas são bem fortes (fácil de observar). Uma das formas de se mapear e determinar quantidades de gás em galáxias é utilizando a presença de poeira. Devido a presença de poeira nas regiões de formação estelar, podemos utilizá-la como maneira indireta de estimar a densidade superficial do gás oculto. Quase todos os estudos atuais utilizam medidas de infravermelho (IR) para estimar a densidade superficial de poeira, onde os grãos de poeira geralmente re-emitem a luz absorvida em outras frequências. desenvolvem a conversão de poeira para gás utilizando medidas da poeira em absorção, e não em emissão. Nossa pesquisa baseia-se na busca por traçadores de gás em galáxias formadoras de estrelas do Projeto CALIFA survey. Escolhemos a poeira em absorção (na faixa do espectro óptico) para tal objetivo pois é uma quantidade à qual temos acesso, tanto via síntese espectral como por meio de linhas de emissão.

Morphological influence in the variation of proportion of P3HT:PCBM blend films

Franco Sauvisky
Bulk heterojunction polymer solar cells (BHJ-PSCs), whose active layer is comprised of semiconducting polymer and fullerene, afford the potential advantages of easy processability, mechanical flexibility, and low material costs. Generally, the performance of the material used to build BHJ-PSCs can be maximized by controlling the active layer morphology, because efficient photoinduced charge generation, transport, and collection at each electrode mainly depend on the nanoscale morphology of the active layer. Charge generation takes place at the donor/acceptor heterojuction, sothe donor and acceptor need to be well-mixed so as to maximize the interface area of the heterojunction and in order to optimize the BHJ morphology. The polymers used in this work were regioregular poly(3-hexylthiophene) (P3HT) and [6, 6]-phenyl C61-butyric acid methyl ester (PCBM), and was used 1,2-dichlorobenzene as solvent. The P3HT:PCBM solution was stirred on the heating plate during 24h at 60°C. The self-organized BHJ of the polymer based on P3HT:PCBM films are archived by varying the proportion of polymers (50:50, 60:40, 70:30) (m:m) at constant temperature at which the spin casting process occurs. The active layer was obtained by spin-coating the solution in a single spinning process with a fixed spinning speed during 180 s. After this, the blends were submitted to thermal treatment during 10 min at 140°C. These blend films were subsequently characterized by UV-vis absorption spectroscopy and atomic force microscopy (in tapping mode) measurements. The first results obtained shown that in the P3HT:PCBM solid films, the intensity of absorption bands is found to be dependent on the weight fraction – absorption intensity increases when the P3HT proportion is increased. The thickness is higher to 60:40 and 70:30 annealed blend films, and also the roughness surface increases to annealed blend films.

Transferência de energia eletrônica em redes de Pontos Quânticos

Graziâni Candiotto (UFSC)
Neste trabalho desenvolvemos métodos teóricos e computacionais que serão utilizados na análise e na descrição de fenômeno de transferência de energia excitônica no regime quântico em sistemas quânticos naturais e artificiais. Os mecanismos de transferência de energia excitônica são a principal forma de transporte de energia eletrônica em sistemas não condutores, tais como polímeros, sistemas orgânicos e redes de pontos quânticos (PQs). Por exemplo, eles são responsáveis pela transferência de energia desde a estrutura de cromóforos moleculares até o centro de reação nas unidades fotossintéticas; pela difusão excitônica nos sistemas poliméricos e moleculares; pela transferência de energia radiativa entre centros fluorescentes o que é muito utilizado para marcação em sistemas biológicos, no caso de sistemas artificiais o transporte excitônico pode ocorrer em redes de pontos quânticos ou aglomerados de nanopartículas. O método teórico desenvolvido utiliza PQs bidimensionais com confinamento harmônico para descrever os centro doadores e aceitadores presentes nos sistemas fotossintéticos naturais e artificiais. Na descrição da dinâmica do processo de transferência de energia excitônica no regime quântico o modelo leva em consideração os efeitos que são produzidos por fatores geométricos, tais como tamanho, forma e orientação dos centros doadores e aceitadores, superposição espacial entre os centros doadores e aceitadores deslocalizados, além de efeitos de correlação eletrônica.

Building an EoS for supernova simulations

Guilherme Grams (UFSC)
The equation of state (EoS) of nuclear matter is essential to understand phenomena related to nuclear astrophysics in general. In particular, the EoS for core-collapse supernova has to cover a wide range of proton fractions, densities and temperatures. Also, as the density is around two or three times the saturation density, it is believed that hyperons may emerge. The main point of this work is to study the behaviour of the nuclear matter made up by protons, neutrons and the lambda hyperon in the framework of the quark-m­eson coupling (QMC) model for future prospect of constructing an EoS for supernova simulations. The QMC model is a relativistic, effective model in which the quarks interact between the exchange of mesons so as to make up hadrons. Hadronic matter properties are therefore obtained from quark degrees of freedom. The QMC model with protons, neutrons and lambdas is used to find nuclear matter properties as a step towards obtaining stellar matter quantities.

Simulações de Monte Carlo de modelos de Ising bicamada com planos não equivalentes

Ian Jordy Lopez Diaz (UFSC)
Materiais magnéticos em camadas têm sido amplamente estudados nas últimas décadas. Em particular fenômenos como a magnetoresistência gigante ou o efeito magnetocalórico, presentes em muitos desses materiais, têm despertado grande interesse devido a toda uma gama de aplicações tecnológicas. Além disso , há um grande interesse teórico no estudo das propriedades destes sistemas, a fim de obter informações sobre o cruzamento entre os comportamentos característicos de sistemas magnéticos de duas e três dimensões. Soluções exatas para modelos magnéticos existem, mas estão limitadas a certos casos em uma ou duas dimensões. Portanto, a análise de modelos mais complexos, com a introdução de diferentes interações ferromagnéticas e antiferromagnéticas, bem como a presença de desordem atômica, torna necessário o uso de métodos aproximativos. Nós estudamos o comportamento magnético de um modelo de Ising de spin 1/2 composto por duas camadas monoatômicas diferentes, cada uma modelada como uma rede quadrada com ligações ferromagnéticas. A interação entre átomos de camadas diferentes é antiferromagnética. Além disso, introduzimos desordem atômica em um dos planos na forma de vacâncias, ou seja, em uma das redes os sítios são sorteados aleatoriamente para representarem sítios ativos, com probabilidade p, ou vacâncias com probabilidade 1-p. O estudo é feito através de simulações de Monte Carlo. Observamos a ocorrência do efeito de compensação e as temperaturas de compensação e crítica do sistema são determinadas para diversos valores dos parâmetros do hamiltoniano. Nossos resultados são comparados aos obtidos na aproximação de campo médio.”

Astronomia para Crianças: um Projeto de Letramento Científico no Projeto de Vida Nova Irmãs Carmelitas Em Pernambuco

Indira Alves dos Santos (IF Sertão-PE)
O presente trabalho tem como objetivo posicionar a astronomia de modo interativo e experimental para crianças do Ensino Fundamental I, desenvolvendo o letramento cientifico dessas crianças para que possam discutir se possuem saberes práticos relacionados a ciência, deduzindo de sua observação o sistema solar, o movimento dos planetas e aspectos astronômicos que poderão ser utilizadas em coisas muito práticas, desde prever as marés e estudar o aquecimento da atmosfera por efeito estufa causado pela poluição, e em que medida esses saberes contribuem para a visão de mundo. Diante deste posicionamento, o presente estudo usa o lúdico e o experimental como uma importante ferramenta metodológica para tornar o ensino de astronomia mais atraente e prazeroso. Para tanto, foram desenvolvidas atividades lúdicas como jogos interativos relacionadas aos conteúdos de astronomia e experimentos como lunetas, sistema solar, mini planetários, com estudantes do Ensino Fundamental I, na faixa etária 7-14 anos no Projeto Vida Nova Irmãs Carmelitas no município de Petrolina- PE, por alunos do Curso de Licenciatura em Física do IF Sertão-PE. Primeiramente foi realizada uma pesquisa bibliográfica sobre o lúdico e experimentação, sua importância no processo de ensino aprendizagem e o conhecimento das etapas do desenvolvimento da criança, salientando a necessidade de harmonizar o letramento científico correlacionando as repercussões da ciência e da tecnologia nos aspectos sociais. Na sequência, houve a adaptação de questionários abertos utilizados antes e depois da culminância do projeto, para assim coletar depoimentos dos professores e das crianças, de forma a possibilitar ampla discussão do trabalho. De acordo com os comentários realizados podemos concluir que entendem o trabalho de letramento astronômico com crianças como uma metodologia diferenciada e motivadora que promove uma aprendizagem significativa de forma prazerosa para os alunos. Palavras-Chaves: Astronomia, Criança, Letramento

Oficina de Astronomia para Crianças

Jan Pierre Modesto Alves (IF Sertão-PE)
O presente trabalho visa mostrar a aplicação de oficina de astronomia realizada com 15 crianças com idades entre 07 e 12 anos no Projeto Vida Nova — Irmãs Carmelitas. A oficina de Astronomia foi realizada por estudantes do curso de Licenciatura em Física do IF — Sertão Pernambucano. O projeto teve como objetivo ensinar as noções básicas de Astronomia por meio de oficinas e de recursos audiovisuais, despertar e estimular na criança o interesse pelo estudo de ciências em geral, devido às características interdisciplinares da Astronomia. Durante a realização das atividades, os alunos tiveram em aulas teóricas uma síntese das concepções acerca da Terra, da Lua, do Sol, das estrelas, dos planetas, do céu e do universo. Já nas atividades práticas os alunos puderam participar da construção de experimentos que abordassem os temas como as fases da Lua e o Relógio do Sol. Nota-se diante das atividades desenvolvidas que a astronomia como sendo a ciência que estuda os corpos celestes possui um grau altamente motivador e popularizável, visto que o seu principal laboratório é natural e o céu está à disposição de todos, favorecendo a cultura científica, as atividades na educação formal e não formal. Palavras chaves: Astronomia, física, criança.

O uso do software Stellarium como plataforma de ensino de astronomia: Um excelente recurso para estudar o nosso sistema solar e as constelações.

Julia Taisy do Vale Bezerra (IF Sertão-PE)
A astronomia tem deixado de ser somente uma disciplina de formação dos professores e vem cada vez mais sendo debatida com parte integrante do ensino básico por seu potencial motivador para o estudo de vários conteúdos de diferentes ramos da ciência. Sobre essa possibilidade Parâmetros Curriculares Nacionais apontam para a necessidade de inclusão da mesma na educação básica. Mas para grande parte das escolas o ensino de astronomia tem ficado de fora dos programas de ensino. Por outro lado, o uso de ferramentas tecnológicas no ensino tem sido bastante difundido como metodologia. Uma importante ferramenta de tecnologia para o ensino de astronomia é software Stellarium. Esse programa de computador é gratuito e trata-se de um planetário que simula o movimento aparente dos astros e pode ser configurado de acordo com as escolhas do usuário. O presente trabalho apresenta uma prática investigativa sobre o ensino de astronomia que será desenvolvida com 40 estudantes do Ensino Médio de uma escola estadual da cidade de Petrolina-PE. A prática será desenvolvida em dois encontros. Os encontros acontecerão no laboratório de informática da escola, onde os mesmos desenvolveram atividades com o auxílio do stellarium. Essas atividades serão desenvolvidas por meio de roteiros estruturados com procedimentos e questões investigativas para serem desenvolvidas pelos estudantes. As atividades do primeiro encontro versarão sobre tópicos do nosso sistema solar e das constelações, onde os alunos irão usar o programa para pesquisar informações sobre os temas e investigar alguns problemas propostos. Já no segundo encontro os alunos realizaram praticas sobre o estudo do Movimento Aparente do Sol durante o dia e no período de um ano. Dos dois encontros, será feita uma avaliação das práticas realizadas por meio de questionários avaliativos sobre os temas abordados com o intuito de avaliar se as mesmas contribuíram para o aprendizado dos alunos. Dessa análise, serão esperados, de acordo com o potencial didático do Stelarium que os alunos se sintam motivados e que possam compreender significativamente conceitos astronômicos.

Compactons em Modelos CP2

Leandro Roza Livramento (UFSC)
Em teoria de campos, modelos com potencial de interação não diferenciável em mínimos tem soluções de campo que atingem valores de vácuo em valores finitos da coordenadas espaciais. A propriedade principal dessas soluções é que só interagem umas com as outras caso seus suportes se sobreponham. Neste trabalho buscamos encontrar tais soluções no modelo CP2 (Complex Projective 2-dimensional).

Investigando a Correlação entre Distância e Metalicidade das Hospedeiras de Supernovas do Tipo IA

Luís Felipe Longo Micchi (UFRJ)
Supernovas do tipo Ia (SNIa) são objetos de estudo importantíssimos para a cosmologia, por fornecerem medidas de distâncias razoavelmente precisas, através das quais determinou-se, pela primeira vez, em 1998, a expansão acelerada do universo. Estudos recentes (Hayden et al. (2012)) sugerem uma forte correlação entre os chamados resíduos de Hubble e a metalicidade da galáxia hospedeira e, a fim de refinar a análise, utiliza-se o método de Manucci et al. (2010) para estimar a metalicidade a partir de outras propriedades da galáxia: a massa estelar e a taxa de formação estelar. Esperamos que esse método forneça resultados mais precisos para confirmar a correlação entre metalicidade e resíduos.

Characterization of Thin Films of an Azo Photoisomerizable Columnar Liquid Crystal.

Luiza Spanamberg Silveira de Souza (UFSC)
The soft and self-organizing nature of liquid crystals (LCs) have been widely explored to prepare monodomain films. In particular, discotic LCs have presented excellent semiconductor properties for applications in organic electronics. In the columnar mesophases, the disk-like molecules stack on top of one another with overlap of the π-orbitals between adjacent molecules, favoring the migration of charge carriers. The controlled alignment of columns on surfaces represents a major challenge for the practical application. Planar uniaxial alignment with edge-on orientation of the molecules and columns parallel to the substrate is appropriate for field effect transistors. On the other hand, homeotropic alignment with a face-on orientation of the discs and the columnar axes perpendicular to the substrate is beneficial for solar cells and light-emitting diodes. In this work, we present the preliminary results about the characterization of a discotic LC (called OXD-8) containing an azo (N=N) linkage in its center, which is well-known by the reversible trans-cis-trans. When the molecule is in the trans configuration, the high discotic anisometry promotes a columnar hexagonal mesophase. After the photoisomerization to the cis configuration and consequent lost of the anisometry, this material becomes an isotropic liquid. Thin films of this material were produced from solution by spin-coating technique and characterized by atomic force microscopy (AFM). In an attempt to induce the planar or homeotropic alignment the films were submitted to the different thermal treatments and investigated by polarizing optical microscopy (POM).

Observação das relações de flutuação com fótons.

Marcello Antonio Alves Talarico (UFSC)
A chamada Termodinâmica Quântica é o estudo dos princípios termodinâmicos dentro do contexto da física quântica. Um dos maiores desafios da Termodinâmica Quântica é mostrar como, a partir de algumas poucas partículas (regime dominado pela Mecânica Quântica), podemos obter as conhecidas leis da Termodinâmica (devidamente adequadas a essa situação). Um aspecto explorado é referente ao cálculo da distribuição de trabalho para o sistema. Nesse trabalho daremos atenção a esse aspecto, bem como uma possível implementação experimental. O sistema de estudo será descrito pelo hamiltoniano do oscilador harmônico unidimensional, esse ligado a um banho térmico que permite que escrevamos o estado térmico para o sistema em questão. Apresentaremos a relação entre o trabalho () e a função característica (G(u)). Também apresentaremos o cálculo explicito para a G(u). A partir desse ponto calcularemos a função G(u) para um exemplo específico que é a ação física que efetuará o trabalho no sistema, que é descrito pelo deslocamento em momento para o oscilador harmônico. Com isso feito apresentaremos alguns resultados. O nosso outro interesse no estudo desse sistema é devido ao mesmo ser mapeado em sistemas óticos, através da equação de onda paraxial. Isso que nos leva a outra motivação para esse trabalho, a proposta de um possível experimento para o cálculo do trabalho fazendo uso de um interferômetro.

Introdução a os Modelos Hebbianos de Memoria Associativa

Nilo Barrantes Melgar (CBPF)
O modelo dinâmico proposto por Hopfield para explicar o comportamento das redes neurais é estudado brevemente já q prova ser um dos mais interessante pois permite utilizar as técnicas da mecânica estatística. Quando a plasticidade sináptica se comporta de acordo com um procedimento Hebbiano, a analogia com os modelos clássicos de vidro de spin estudado por Van Hemmen é completa. As propriedades colectivas desse modelo produzem uma memória de conteúdo endereçável que gera corretamente uma memória inteira a partir de qualquer subparte de tamanho suficiente.

Distribuições de Probabilidade em Cascatas Turbulentas Log-Poissonianas

Pedro Paulo P. Foster (UFRJ)
Quando um fluxo de fluido é caracterizado por um número de Reynolds muito alto, sua viscosidade não é suficiente para amortecer possíveis instabilidades hidrodinâmicas presentes, e o escoamento entra em regime turbulento. Tal regime é caracterizado por extrema irregularidade e campos intensos de vorticidade, alta difusividade e rápida dissipação de energia cinética em calor. Porém, enquanto a energia cinética é injetada nas grandes escalas do fluido, a sua conversão em energia térmica se dá nas escalas moleculares, de forma que existirá uma hierarquia de escalas intermediárias a serem excitadas. Este mecanismo de transferência de energia é conhecido como a “hipótese de cascata de Richardson.” Desde trabalhos experimentais na década de 40, é conhecido que certos observáveis físicos flutuam de maneira fortemente não-gaussiana em escoamentos turbulentos. Tal comportamento estatístico constitui o fenômeno da intermitência. Na década de 90, surge o modelo log-Poisson [1] para a cascata de energia, que sugere estruturas coerentes (filamentos vorticais) como principal ingrediente da intermitência. E em [2], é mostrado que, a partir deste modelo, podemos mapear a função densidade de probabilidade (PDF) do gradiente de velocidade de uma medição atmosférica (altíssimos números de Reynolds) em uma simulação a baixo número de Reynolds – um resultado de grandes consequências para simulações computacionais. Nosso objetivo com o presente trabalho é estabelecer tal mapeamento entre diferentes escalas de um único escoamento turbulento, utilizando o citado modelo log-Poisson, e investigar até que escalas ele pode ser aplicado. Mostramos que em uma simulação numérica direta (DNS) de turbulência isotrópica, as PDFs a diferentes escalas se conectam através de convoluções com processos de Poisson, utilizando como único parâmetro o número de passos da cascata entre elas. Buscamos estender essa análise ao problema da magnetohidrodinâmica turbulenta, a fim de validar ou não a hipótese de cascata para a turbulência em plasmas. [1] Z.-S. She, E. Leveque, Phys. Rev. Lett. 72, 336 (1994) [2] M. Kholmyansky, L. Moriconi, R. M. Pereira, A. Tsinober, Phys. Rev. E 80, 036311 (2009)”

Investigation of pinholes in TiO2 films prepared by cathodic electrosynthesis using cyclic voltammetry

Rafael Bento Serpa (UFSC)
TiO2 films are often used as photoanodes in solid-state dye-sensitized solar cells. In these devices, the recombination of photoinjected electrons with the hole-transporting medium is an undesired parasitic process. It occurs both at the TiO2 surface and at the naked substrate areas, like in pinholes. Recently, Kavan et al. have evaluated the presence of pinholes in TiO2 blocking layers using cyclic voltammetry [1]. In all cases the films presented significant number of pinholes after heat treatment, which is necessary to crystallize the films. At LabSiN/UFSC we produce TiO2 films by cathodic electrosynthesis. The structural properties of our samples have been studied with x-ray diffraction and Raman measurements. These films present a high crystallinity degree (crystallites of around 50 nm) and a mixture of brookite and anatase phases [2], which make them potential candidates for application in photovoltaic devices. In this work we have evaluated the presence of pinholes in the films, performing cyclic voltammetry measurements using the redox couple ferro/ferricyanide. We have measured a non-heated sample, as well as films with different thicknesses, treated at different temperatures. For the non-heated sample a negligible amount of pinholes was observed. Nevertheless, all the thermally treated samples presented pinholes. Moreover, with increasing heat treatment temperature the number of pinholes also increases. However, the pinholes and the diffusion coefficient of the ions were substantially reduced by the addition of a non-porous titania blocking layer, spin-coated on top of the electrosynthesized TiO2 film, increasing the reproducibility and efficiency of the devices. [1] L. Kavan et al. , J. Phys. Chem. C 118, 16408–16418, 2014. [2] C. S. Campos et al. , J. Raman Spectrosc. 43, 433–438, 2012.

Espectrofotômetro UV-Visível de absorção de baixo custo implementado com LEDs e conexão a PC

Sergio Fernando Curcio (UFOP)
A espectrofotometria é um método de análise óptico muito usado em investigações físicas, químicas y biológicas. O espectrofotômetro é um instrumento que permite comparar a radiação absorvida ou transmitida por uma solução que contem una quantidade desconhecida de soluto, e uma que contem una quantidade conhecida de dito soluto. Grande parte dos espectrofotômetros encontrados em laboratórios de investigação e análise baseia seu funcionamento em uma lâmpada de amplo espectro, cuja emissão é descomposta por elementos mecânico-óptico com o fim de radiar as amostras com determinados comprimentos de onda. Postula-se aqui a construção de um espectrofotômetro de baixo custo onde a emissão é obtida partindo de leds de diferentes cores e o cálculo da absorção se obtém pela resposta de um fotodiodo apropriadamente posicionado. Tanto o controle da emissão dos leds como a informação obtida do fotodiodo se processam com um microcontrolador PIC, que por sua vez, envia toda essa informação a um PC para posterior análise. É de destacar a ausência de partes móbiles em este projeto fonte de falhas e incertezas, assim como de sensores CCD com os quais não se cumpriria a premissa de baixo custo. Referencias [1] GAIÃO, Edvaldo da Nóbrega; MEDEIROS, Everaldo Paulo; LYRA, Wellington da Silva; MOREIRA, Pablo Nogueira Teles; VASCONCELOS, Pablo Cavalcante; SILVA, Edvan Cirino; ARAÚJO, Mário César Ugulino. Um fotômetro multi–LED microcontrolado, portátil e de baixo custo. Nota Técnica, Departamento de Química, Centro de Ciências Exatas e da Natureza, Universidade Federal da Paraíba, v. 28, n.6, p. 1102–1105, 2005. [2] Pereira, F.; PIC, Programação em C, 2a ed., Érica: São Paulo, 2003. [3] Füllgraf, R, Espectrofotômetro portátil com led RGB para análises químicas e biológicas. 2012,Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, Departamento Acadêmico de Eletrônica

Estudo da formação e destruição de moléculas pré-bióticas em ambientes astrofísicos e suas aplicações em Astroquímica e Astrobiologia.

Thays Pontes Bentes (Uninorte)
A astrobiologia é uma área relativamente recente de pesquisa que busca estudar a vida no contexto cósmico. Ciência inter e multi disciplinar que apresenta abrangência em diversas áreas do conhecimento cientifico, envolvendo desde física, química, matemática, biologia, astronomia, filosofia e computação. Tentando reunir essas diferentes áreas para entender uma problemática bastante complicada que é o estudo da vida. A astrobiologia entende a vida como mais um fenômeno físico-químico que está em constante interação com o planeta. Uma das teorias correntes sobre a origem da vida em nosso planeta baseia-se no desenvolvimento da química pré-biótica na Terra primitiva. Uma das hipóteses dentro dessa teoria é que a matéria orgânica tenha chegado à Terra através de bombardeios de cometas e meteoritos. Dentre as espécies orgânicas complexas depositadas, estariam também os aminoácidos, com a molécula de glicina. Essas espécies químicas são os blocos construtores das proteínas, presentes e essenciais a todas as formas de vida na Terra. No entanto, à assimilação de estudos sobre os processos de formação e destruição de espécies pré-bióticas em ambientes astrofísicos é de tal relevância para os estudos astroquímicos e de interesse no avanço de pesquisas em astrobiologia.

Teoria do campo médio para o Processo de Contato de longo alcance com difusão.

Tiago Boff Pedro (UFSC)
O efeito de difusão no Processo de Contato unidimensional de longo alcance é investigado por cálculos de campo médio. Trabalhos recentes demonstraram que a difusão diminui a eficácia das interações de longo alcance, afetando a natureza da transição de fase: para valores mais elevados do coeficiente de difusão, interações de longo alcance mais fortes são necessárias para permitir a coexistência de fases e o comportamento de primeira ordem. Aqui nós aplicamos uma aproximação de campo médio generalizada para a equação Mestra do modelo, que considera os estados de um agregado com L sítios da rede. O diagrama de fase do modelo para valores de L até 10 é obtido, e, para alguns valores da taxa de difusão, extrapolações para sistemas de tamanho infinitos são dadas. Para sistemas de baixa difusão, aproximações com L≥3 são capazes de revelar a supressão da coexistência de fases induzida por difusão, no entanto, no regime de alta difusão, valores maiores de L são necessários para representar corretamente correlações de longo alcance. Apresentamos um método muito eficiente para estudar as equações de campo médio e determinar a natureza das transições de fase que podem ser de utilidade geral.

Os parâmetros da binária e o disco de acréscimo da nova anã OY Carinae em quiescência

Wagner Schlindwein (UFSC)
Em novas anãs, uma estrela de tipo tardio transfere matéria para uma companheira anã branca através de um disco de acréscimo. Novas anãs sofrem erupções recorrentes em escalas de tempo de dias-meses, nas quais o disco de acréscimo aumenta de brilho por fatores 20-100. As erupções são explicadas em termos ou de uma instabilidade termo-viscosa no disco ou de uma instabilidade na transferência de matéria da estrela doadora. A nova anã OY Car foi observada com o SOAR entre fevereiro e abril de 2014. Durante as observações OY Car estava em quiescência, mas suas curvas de luz apresentaram dois estados distintos de brilho: estado alto e estado baixo. Como os dados são de ótima qualidade, resolvemos revisar os parâmetros da binária e investigar as diferenças entre estes estados de brilho. O objeto central eclipsado no estado alto têm tamanho e fluxo maiores do que no estado baixo. Isso indica que o objeto central eclipsado não é somente a anã branca, e sim uma composição da anã branca + camada de interface (“boundary layer”). Outro fato interessante, é que as fases de ingresso e egresso da mancha brilhante (“bright spot” – que dá uma estimativa do tamanho do disco) no estado alto acontecem antes e depois em relação as fases no estado baixo, respectivamente. Isso indica que o disco de acréscimo no estado alto é maior que no estado baixo. Adicionalmente, usamos a técnica de Mapeamento por Eclipse para estudar a estrutura e distribuição de brilho do disco de acréscimo nos dois estados observados de OY Car em quiescência.

(Ordem alfabética.)