Espalhamento duplo de pártons a 7 TeV

Rodrigo Konrath

O Grande Colisor de Hádrons (LHC) é uma boa oportunidade para se estudar a Cromodinâmica Quântica (QCD), que descreve as interações fortes entre os quarks e os glúons, isto é, os constituintes dos hádrons. Por causa da liberdade assintótica, as colisões entre hádrons podem ser calculadas perturbativamente no limite de altas energias das colisões partônicas se as funções de distribuição partônica (PDF’s) estão disponíveis. Frequentemente, o espalhamento duplo de pártons (DPS) quando dois pares de pártons interagem numa mesma colisão p-p (próton-próton). Até o advento do LHC, este tipo de processo não era muito bem compreendido, já que colisões em energias muito altas são necessárias para uma contribuição mais visível do espalhamento duplo. Basicamente, o processo DPS pode ser calculado pela multiplicação de duas seções de choque partônicas independentes, dividindo-se o resultado por uma seção de choque efetiva. Nós revisamos essa possibilidade.